31 Maio 2023

Como manter a saúde mental e cognitiva com o envelhecimento

Cuidar das relações sociais é uma das principais chaves para garantir o equilíbrio das funções cerebrais

Envelhecimento não é sinônimo de doença. Mas, para garantir que possamos desfrutar da vida em sua plenitude em todas as fases, é importante cuidar da saúde mental e cognitiva.

Muito já se sabe sobre a importância do estilo de vida para a saúde em geral. Isso inclui dieta equilibrada, corpo em movimento, sono adequado e pouco consumo de substâncias como o álcool e o tabaco.

Estudos também mostram que a prática regular de leitura e de jogos mentais, além do aprendizado de novas habilidades, pode ter efeito protetor das funções cognitivas.

Entretanto, pouco se fala do papel das relações sociais nessa equação. Estudos recentes afirmam que a solidão é um dos principais riscos para o declínio cognitivo.

É claro que é positivo ser capaz de ficar apenas com a nossa própria companhia, de praticar o que chamamos de solitude.

Mas a falta de conexão com alguém tem efeitos negativos significativos na saúde física e mental de pessoas de todas as idades, afetando impiedosamente os mais velhos.

Hoje, sabemos que a solidão está associada a um risco aumentado de demência, depressão, ansiedade, doenças cardiovasculares, hipertensão, diabetes e abuso de substâncias perigosas.

A solidão, aparentemente inofensiva, está também ligada a um maior risco de mortalidade em idosos, com danos semelhantes aos causados pela obesidade, pelo sedentarismo e pelo tabagismo.

Apesar dos muitos desafios do envelhecer, a idade não é um fator determinante isolado para o declínio cognitivo.

Portanto, não espere mais para investir na sua inteligência emocional e em relações sociais importantes.

Uma vida plena e significativa está à nossa espera, a qualquer momento.

Fonte: Saúde Abril

Voltar