22 Junho 2023

Cinco tecnologias que estão determinando o futuro da saúde

Inteligência artificial, gestão de dados, robótica e outros destaques da transformação digital da saúde na principal feira do setor do Brasil

Na última semana, na feira Hospitalar que reuniu boa parte do ecossistema de saúde do país. O debate sobre o uso de novas tecnologias, soluções digitais e inovações para o setor foi um dos tópicos quentes do encontro.

Boa parte das empresas presentes já utiliza uma ou mais das tecnologias de vanguarda no seu cotidiano. Contudo, a maioria reconhece que elas também trazem desafios, que crescem de maneira progressiva com o avanço da digitalização do setor.

O mercado da saúde atravessa um processo de transformação digital intenso, que agrega empresas que estão no início dessa fase e organizações que direcionam tendências de inovação para todo o mercado.

Dentro desse movimento inquieto, as cinco principais tecnologias que descreverei a seguir ditarão e já estão ditando as regras do jogo.

Inteligência artificial

O conceito de IA é amplo e diversificado, mas ainda não são todas as empresas que utilizam a inteligência artificial no setor da saúde.

Uma pena, já que ela pode melhorar prognósticos, colaborar na identificação doenças e reduzir gastos operacionais. A tendência hoje é olhar para essa tecnologia como um ativo de predição.

Até existem empresas que utilizam a tecnologia para antever problemas e apontar as melhores soluções, mas a maior parte engatinha no quesito predição digital. Por um motivo: a falta do uso de dados de saúde.

Softwares e analytics de dados

De forma objetiva, sem dados não existe IA, automatização de processos ou melhora no atendimento à saúde por meio da tecnologia.

Para que as empresas e os profissionais de saúde sejam inseridos neste amplo e diverso movimento de inovação, o investimento na chamada datificação – extração e análise massiva de dados – é primordial.

A captura de dados ocorre em diversos canais, como redes sociais, prontuários e prescrições digitais, agendamentos de consultas e exames, entre outros.

Com tamanhos avanços, evoluímos e caminhamos rumo a um lugar de interesse coletivo. Contudo, sem explorar essas tecnologias e sem uma gestão inteligente de dados, toda a cadeia perde seu valor e o paciente deixa de ter uma melhor experiência em sua jornada de saúde e autocuidado.

Fonte: Saúde Abril

Voltar