10 Janeiro 2023

Jejum faz bem?

A estratégia que amplia o tempo longe da comida vive ganhando adeptos, a maioria em busca de emagrecimento rápido. Saiba o que a ciência diz sobre ela

Embora a trama principal seja o emagrecimento, o enredo controverso fala de outros possíveis benefícios, como a longevidade. Um personagem que merece destaque aqui é o japonês Yoshinori Ohsumi. Ganhador do Prêmio Nobel de Medicina em 2016, foi colocado como embaixador da estratégia contra a obesidade de forma totalmente equivocada: ele jamais propagandeou dietas.

A prática coloca em cena um novo conceito e campo de estudos, a crononutrição, que investiga os efeitos do horário das refeições no metabolismo e, entre outras coisas, seu reflexo na perda ou no ganho de peso. Tudo ordenado pelos ponteiros do relógio biológico. Mas como o jejum se encaixa nesse roteiro?

Embora essa história possa cursar com conceitos modernos, caso da crononutrição, as inspirações para a prática do jejum intermitente como estratégia de emagrecimento vêm de longe.

Inclusive nossos ancestrais, que moravam nas cavernas, costumam ser utilizados para ajudar a explicar como o corpo humano consegue se adaptar aos tempos de escassez de comida, isto é, recrutando gordura estocada e suprindo as demandas de energia.

Em vários formatos

Confira três modelos populares de jejum intermitente

Dias alternados

Intercalar dias de abstenção total de comida, nos quais são permitidas apenas bebidas sem calorias, com os de alimentação liberada por 24 horas.

Jejum modificado

Nesse caso, o jejum permite o consumo de cerca de 500 calorias. O 5:2, bastante adotado, permeia cinco dias de cardápio irrestrito com dois dias jejuando.

Restrição de tempo

Alterna horas seguidas sem comer e janelas de alimentação, tudo no mesmo dia. Um dos mais comuns é o que pula o café da manhã e tem o almoço depois das 14h.

Fato é que, entre os profissionais de saúde, o jejum intermitente carrega muitas ponderações. Ele tem indicações específicas e deve ser adotado respeitando características individuais para que seja bem-sucedido.

Fonte: Saúde Abril

Voltar